Grupos de trabalho / Qualidade de vida e educação para a saúde

A educação e a literacia para a saúde, assumem um papel fundamental na promoção desta. A Organização Mundial de Saúde (OMS) define a Educação para a Saúde (ES) como “um processo baseado em regras científicas que utiliza oportunidades educacionais programadas por forma a capacitar os indivíduos, agindo isoladamente, ou em conjunto, para tomarem decisões fundamentais sobre assuntos relacionados com a Saúde”. A ES tem assim o objectivo de aumentar a consciencialização do indivíduo e das comunidades sobre as questões relacionadas com a sua Saúde. Pretende contribuir para a aquisição de conhecimentos e competências que possibilitem uma tomada de decisão livre e consciente e incentiva a adopção de atitudes favoráveis à Saúde, promotoras de valores de equilíbrio, bem-estar e de Qualidade de Vida (QdV).

Quando considerada em contextos de Saúde, a QdV designa-se como Qualidade de Vida relacionada com a Saúde (QdVRS), sendo definida pela OMS como “…a percepção que um indivíduo tem do seu lugar na vida, no contexto da cultura e do sistema de valores nos quais vive, em relação com os seus desejos, as suas normas e as suas inquietudes. É um conceito muito amplo, que pode ser influenciado de maneira complexa pela saúde física do indivíduo, pelo estado psicológico e pelo seu nível de independência, as suas relações sociais e as suas relações com os elementos essenciais do seu meio”.

Apesar da subjectitvidade e multidimensionalidade atribuídas ao conceito, este pode ser quantificado objectivamente e tem assumido importância crescente como medida de avaliação em Saúde. Nesta óptica, a avaliação da QdVRS constitui um método de recolha de um dos resultados de Saúde reportados pelo doente mais usados actualmente em Medicina e a sua monitorização tem se revelado importante na obtenção de dados adicionais que podem auxiliar a tomada de decisão clínica, identificar necessidades potenciais, acompanhar a evolução do doente desde o diagnóstico e providenciar informação preditiva do prognóstico. Estas contribuições constituem ganhos adicionais no desenvolvimento da actividade clínica e investigacional permitindo criar estratégias de melhoria da QdVRS dos doentes e seus familiares e optimizar os Serviços de Saúde. A avaliação da QdVRS tem ainda a capacidade de identificar grupos de risco e sinalizar problemas que podem orientar as estratégias de ES, quer em termos individuais, quer comunitários.

O grupo “Educação para a Saúde & Qualidade de Vida” da Associação para a Segurança dos Doentes (APASD) desenvolve trabalho em colaboração com o Centro de Estudos e Investigação em Saúde da Universidade de Coimbra (CEISUC) e eventualmente outras instituições, o que tem permitido publicações no país e no estrangeiro.

Augusta Silveira, Teresa Sequeira & Manuel Cardoso de Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *